Páginas

14 setembro 2017

Artigo 20.º - São deveres dos Sócios:

Estatutos do Rio Ave Futebol Clube

  Qual segurança qual quê!
  Muitos sócios, verdadeiros rioavistas, apenas reclamaram durante anos o cumprimento dos estatutos do Clube.
  A segurança também é importante. CLARO QUE SIM! E esta é uma excelente medida em prol dessa segurança, mas a esse nível ficará a faltar muita coisa.

  Esta é uma medida pela qual muitos rioavistas se bateram em prol do bom nome e sobretudo do ENGRANDECIMENTO do clube.

  Para que não restem dúvidas, as obrigações da SDUQ
Contrato de Sociedade Comercial  Desportiva Unipessoal por Quotas -
CLAÚSULAS DO CONTRATO DE SOCIEDADE
CAPÍTULO PRIMEIRO

Artigo 1º


13 setembro 2017

Marítimo 0 - 1 Rio Ave - Há coisas que não se entendem (MC e VAR)

  Indo direto ao assunto: Muito bom jogo frente ao Benfica; péssima exibição contra o Cova da Piedade (onde o leque do plantel foi alargado a uma extreia face aos jogos anteriores).
  Contra o Marítimo revela-se injusto classificar a exibição face à expulsão. Pensado bem teríamos que dizer que face à expulsão estivemos bastante bem.

  Mas...

  O Rio Ave sabia que o relvado estava mal. Sabia! A Liga durante a semana fez uma inspecção ao campo por algum motivo.
  Ainda assim MC insistiu em jogar da mesma forma. Foi "arrogante" e sobretudo orgulhoso. Não sabemos como a equipa jogaria com 11, mas sabemos como costuma jogar e o seu jogo assenta na posse de bola, nos passes, no futebol de pé para pé.
  Naquele relvado?
  Penso que seria mais prudente mudar algo e apostar nas transições rápidas. Insistiu e correu mal e estava a correr mal com Geraldes em campo.
  Se Yazalde não está em condições todo este paragrafo não fará sentido, mas se estiver apto este era um jogo ideal para ele, num modelo que lhe assenta bem. Não foi, nem tem ido sequer ao banco, ele que pode fazer 3 posições (no lugar de Ruben, Guedes e Barreto), oferecendo coisas diferentes claro. Mas também Nuno Santos e Gabrielzinho são diferentes. Num modelo em que jogamos em apoio, com o avançado muitas vezes de costas par a baliza, onde atacamos a profundidade e onde a bola parada começa a revelar o seu papel Yazalde merecia mais. (A não ser que haja algo na sua postura)

  O Árbitro e o VAR estiveram péssimos. Observando os 4 momentos mais importantes do jogo só encontramos erro. O lance melhor analisado até será a expulsão de Geraldes. Ora vejamos: (a ordem cronológica não é um acaso)
Expulsão de Geraldes - Falta; Jogo improdente - acerta no adversário - Pôs-se a jeito para ser expulso e foi, Mas foi expulso por agressão basicamente. O árbitro não viu falta, logo não descortinou nada que pudesse ser gravoso, um choque natural talvez, mas depois descobre algo passível de expulsão.
Agressão a Barreto - Barreto foi disputar uma bola à linha de fundo onde o árbitro até observou uma falta sua. No regresso ao meio campo um jogador do Marítimo aproxima-se para o arrasteirar ou agredir. Leve ou fortemente pisa-o na zona do calcanhar. Agressão ou tentativa de agressão. O árbitro não viu e desta vez o VAR também não. Como não? como não houve dúvidas?
Penalti de Cassio - Cassio chega primeiro á bola, mas depois enfia uma charutada no adversário enquanto esta se encontra jogavel e perto do seu raio de ação. O árbitro achou que foi bola dividida, o VAR não achou que o cacete fosse suficiente para uma apreciação mais cuidada.
Posição irregular no Golo - Sem fita métrica diria que é em tudo semelhante ao golo invalidade ao Portimonense na Luz. Nem árbitro auxiliar, nem VAR viram o que se passou, talvez demasiado encantado com o toque de calacanhar e o não fora de jogo do autor do Golo > É o Rio Ave. Esta verificação basta - É devem pensar.

  O campo
  Porto, Sporting ou Benfica jogariam naquele relvado? Não sabemos e talvez não vínhamos a saber.
  Mas sabemos uma coisa, um dos responsáveis do Marítimo prestou declarações ante do encontro, por altura da vistoria da Liga onde reconhecia que o campo não estava bem e explicava o problema com a existência de um fungo. Sem problema, já tivemos problemas no nosso à pouco tempo.
  Mas o responsável disse ainda que precisariam de cerca de 1 mês para o por em boas condições, mas infelizmente não seria possível dado os jogos caseiros consecutivos com Rio Ave e Desp. das Aves e que o mesmo estaria nas melhores condições possíveis.
  Mal a Liga ao não obrigar o Marítimo a contar esse mês o mais rapidamente possível. Assim são prejudicados Rio Ave, Desp. das Aves, futebol nacional, verdade desportiva, mas não o Marítimo porque esse pode escolher a qualquer altura onde jogar E TREINAR.

22 agosto 2017

Rio Ave 2 - 0 Portimonense - S. Poste

  Melhor mas ainda abaixo da exigência.
  Os resultados são muito positivos, o "processo" chega a entregar alguma beleza ao jogo, mas ainda falta o espectáculo. O espectáculo no futebol são os dribles, as jogadas de perigo, os passes de morte que deixam o estádio em suspenso, como se o tempo parasse e os Golos que o fazem rebentar como uma bela garrafa de Champanhe num festejo de um qualquer pódio.
  No último jogo tivemos um adversário mais exigente e acabamos com a vitória mais folgada. Isto no jogo em que fomos mais empurrados para a nossa defesa. A 1ª parte foi horrível e podíamos ter saído a perder - nem o lance de Geraldes nos salvaria. Só que ganhamos. Ganhamos outra vez.

  Este Rio Ave e este "processo" está a colocar-nos num patamar resultadista.
  Mas será que estamos assim tão mal? A imprensa especializada parece gostar (e não estou a falar deste endeusamento recente face ao jogo com o Benfica). Será que estamos a ser demasiado exigentes?
  Talvez. Talvez seja o facto de vermos a nossa equipa com tanta posse de bola e a fazer tão pouco no ataque. Talvez seja demasiada contenção com a bola e o passe curto sem vertigem. No tempo de Castro até tínhamos mais bola, mas também acho que tínhamos mais jogo perto da área. No meu entender a diferença está no constante afunilar do jogo e o embate com a defensiva adversária. Acho que é isso que nos leva ao "desespero". Nós queremos o Rio Ave mais perto do Golo.

   A verdade é que vencemos por 2-0, mas o Portimonense colocou duas bolas no ferro. A verdade é que vencemos no Bessa, mas o adversário falhou um penalti na reta final do encontro. A verdade é que no 1º jogo vencemos por 1-0 com um Golo de ressalto. A verdade é que ainda não estou "descansado". A verdade é que preciso de uma vitória clara, sem dúvidas e com espectáculo. A verdade é que vence mas ainda não convence.

  Deste jogo desta-se a má exibição de Geraldes, a experiência de Bruno Teles, a quase confirmação de Marcão (fica difícil para Monte ou Silvério), o pé quente de Guedes, o brilho de Barreto e o abre latas de Nadjack. E os outros também não estiveram nada mal.

16 agosto 2017

Boavista 1 - 2 Rio Ave - 6 pts muito cépticos



  Passaram dois jogos e a minha profecia já não será cumprida, felizmente para o Rio Ave. Pelo menos na integra, e acredito que com 6 pontos ou se seguem jogos muito maus ou Miguel Cardoso conseguiu aumentar o seu período de experimentação deste modelo de jogo.
  Nestes dois jogos deu para ver algumas diferenças face ao jogo da derrota frente à equipa francesa do Angers onde fomos clara, clara, claramente inferiorizados. Eles não deram mais espetáculo, mas jogaram o jogo que é um jogo de futebol de uma forma muito mais inteligente. E nós, nesse dia nem no capítulo do espetáculo estivemos por cima. Foi só fadiga após a semana de estágio?
  O Rio Ave já não insiste na fixação de 3 homens atrás da linha da bola quando constrói o jogo a partir da defesa, principalmente quanto tem pela frente apenas um adversário (será mais aceitável quando defrontar modelos de dois avançados). O eu vi no jogo de apresentação foi a aplicação de uma solução que nos roubava uma linha de passe no meio campo entregando claramente a superioridade à defensiva adversária, situação potenciada pelo facto de que esses homens no centro do terreno eram forçados a receber a bola de costas para o objetivo. Belenenses e Boavista acabaram por equilibrar os jogos dessa maneira.
  No ataque temos 3 Golos: um ressalto, uma bola parada e um contra-ataque, manifestamente pouco (ou nada?) para quem privilege o ataque organizado e a posse de bola.

  Podemos melhorar? Podemos sim e isso tem-se verificado de jogo para jogo. A construção de jogo já foi alterada, os lateraloextremos estão melhor posicionados (continuo muito apreensivo em relação aos jogos com as melhores equipas – acho que vai ser por ali), e os dois médios exteriores começam a procurar mais o corredor.
  Na minha opinião não chega. Acredito que os laterais estão demasiado expostos e que se pede um grande esforço aos médios que os apoiam em diagonais constantes. Os médios mais exteriores não são extremos e nem procuram ser tal o que faz com que a equipa fique muito estreita. Barreto tem mostrado dificuldades de adaptação. Ao nosso futebol? Penso que não é tanto isso mas sim a posição. Ainda não é um jogador de corredor (poderá ser?). Gabrielzinho entrou bem, mas nas jogadas em que apareceu mais não estávamos naquele ataque de: passe, passe, passe a meio campo.
   Por fim, deixo um destaque para aquele jogador que mais me tem impressionado e mais água na boca me tem deixado. Se ainda vier a melhorar não fica cá muito tempo. Falo de Pelé. Acho que foi injustamente “castigado” pelos maus passes em certo período de tempo no jogo da 1ª jornada. É um jogador que trabalha silenciosamente. Por vezes parece escondido do jogo, e está. Está escondido a vigiar o seu terreno de caça. Assim que o adversário recupera a bola ele aparece e ataca. Ataca a bola, ataca o espaço e por vezes o jogador. Se isso evitar um golo… Na construção de jogo errou, mas também já acertou. Fazendo mais passes erra-se mais e acerta-se mais. Não podemos olhar para Pelé como se olhava para Petrovic, mas sim como se olhava para Wakaso. Ninguém esperava que ele fizesse aquele passe magistral, o que todos queríamos era o descanso de saber que, com ele e os dois centrais, os adversários enfrentavam uma muralha com um carro armado que ia a qualquer lado bloquear o inimigo. Mas atenção, daquilo que já mostrou no passado, para Petrovic, talvez só lhe falte mesmo os passes de 30, 40 e 60 metros. Vamos ver se ele chega lá.